sábado, 8 de dezembro de 2012

Anel Prata Quadrado Lápis-Lazúli Aro Aberto






Anel Prata Quadrado Lápis-Lazúli aro aberto


CRENÇAS E MITOS:
Essa rocha começou a ser utilizada como gema desde o período de 7000 a.C. na Índia.

Devido à sua cor era uma rocha muito apreciada pelos egípcios. 

Para os egípicios, o Lápis-Lazúli simbolizava a água como elemento primordial da criação e era colocado juntamente com as múmias para substituir o coração e fazer a regeneração no outro mundo.

É preciso lembrar que os egípcios davam grande valor à vida no Além e acreditavam que precisariam do seu corpo para viverem neste mundo, razão pela qual os corpos eram mumificados e sepultados com todo o tipo de artefatos que pudessem vir a ser necessários na sua vida depois da morte.

Para além disso era considerado um poderoso amuleto e o seu pó utilizado como cosmético pelas mulheres como sombra para os olhos.

O Lápis-Lazúli não era considerado importante apenas no Egito, também na China, era considerado como uma das Sete Coisas Preciosas. 

Na Suméria é possível encontrar importantes vestígios da utilização desta rocha onde foram encontradas mais de 6000 estatuetas de vários animais.

Mais tarde os romanos acreditavam que o Lápis-Lazúli era um afrodisíaco, ao passo que na Idade Média era utilizado por se acreditar nas suas qualidades curativas em relação a doenças de pele.

Durante muito tempo este azul era admirado e utilizado pelos artistas.

O pó triturado desta rocha era utilizado como pigmento e era conhecido não só pela sua beleza como pelo seu preço extremamente elevado.

Este silicato além de ser muito apreciado pelos egípcios, também foi, largamente aproveitado pelos babilônicos, hindus e budistas. 

Essa pedra libera rapidamente o estresse, trazendo uma paz profunda.

O Lápis-Lazúli abre o "terceiro olho". 

Estimula a iluminação e intensifica o trabalho com sonhos e as capacidades psíquicas, facilitando a viagem astral e aumentando o poder espiritual e pessoal. 


O Lápis-Lazúli é uma pedra protetora que facilita o contato com os guardiões espirituais. 

A essa pedra nos traz a imensa capacidade de harmonização dos níveis físico, emocional, mental e espiritual.

FONTE:
"Bíblia dos Cristais" Judy Hall





*Lápis-Lazúli consagrado a Deusa Ísis


Ísis, ou Aset, da mitologia egípcia foi a mulher de Osíris, filha do deus da terra, Geb ou Gueb, e da deusa do céu/firmamento, Nut. Era ainda mãe de Hórus e cunhada de Set ou Seth. Segundo a lenda, Ísis ajudou a procurar o corpo de Osíris, que tinha sido despedaçado por seu irmão, Seth. Ísis, a deusa do amor e da mágica, tornou-se a deusa-mãe do Egito 

segunda-feira, 26 de novembro de 2012

DOC Galeria abre Bazar dedicado exclusivamente à Fotografia

DOC Galeria abre Bazar dedicado exclusivamente à Fotografia

O DOC Bazar acontece entre os dias 28 de novembro e 22 de dezembro.


 A ideia é incentivar “presentes fotográficos”. 

O primeiro bazar dedicado ao tema acontece na DOC Galeria, escritório especializado em fotografia, na Vila Madalena. 

O bazar vai reunir, além de fotos, uma coleção de peças e objetos que fazem referência 

direta à fotografia de alguns dos principais nomes do segmento.

Uma ótima oportunidade para os amantes da fotografia e também para



 quem deseja aumentar ou começar sua coleção.

Entre os fotógrafos convidados a participar com suas obras estão nomes como Alberto 


]de Abreu Sodré, Alexandre Sequeira, Alexandre Urch, Ana Beatriz Elorza, Ana Carolina 

Fernandes, André Liohn, Arthur Verissimo, Ary Diesendruck, Bico Stupakoff, Bruno Cals, 

Bruno Miranda, Carla Capelo, Carla Romero, Christian Sievers, Du Ribeiro, Ed Viggiani, 

Érico Toscano, Érika Garrido, Everton Baladin, Feco Hamburger, Flavio Samelo, Galeria 

Experiência, Garapa, Guilherme Isnard, Ignacio Aronovich, Ilana Lichtenstein, Isadora 

Brant, Jaime Scatena, Jonas Tucci, José Bassit, José Diniz, Juan Esteves, Julio 

Bittencourt, Klaus Mitteldorf, Kosuke Arakawa, Leka Mendes, Luludi, Luiz Prado, Marcela 

Haddad, Marcelo Pallotta, Marcelo Zocchio, Márcia Zoet, Mauricio Nahas, Moa Sitibaldi, 

Mônica Zarattini, Na Lata, Pedro Lobo, Pietro Ghiurghi, Raquel Brust, Renato Stockler, 

Roberto Linsker, Roberto Wagner, Rogério Assis, Tatiana Bravo e Valério Trabanco, 

Zaida Siqueira

Abertura

Dia 28 de novembro às 19h

Serviço

DOC Bazar

Local – DOC Galeria

Rua Aspicuelta, 662, Vila Madalena

De 28 de novembro a 22 de dezembro

Segunda a Sexta – das 11h às 19h

Sábados – das 11h às 16h

Domingos (09/12 e 16/12) – das 11h às 16h

segunda-feira, 19 de novembro de 2012

terça-feira, 6 de novembro de 2012

Brinco Prata Onda




                                                            Brinco Prata Onda 

                            Brinco Prata "Onda"

Curiosidades sobre a prata:

Prata significa- Pedra dura 

Prata 950 significa: 95% da joia é de prata pura  os outros 5% são de outros metais, normalmente Cobre.
Isso acontece por que tanto a Prata quanto o Ouro são metais delicados, maleáveis e frágeis e, por esse motivo, é feita uma liga com outros metais, normalmente  é usado o Cobre para que eles, Ouro e Prata, possam ser trabalhados. 
Este conceito foi criado por Dom Afonso II para punir severamente quem alterasse a mistura.
Esse termo, prata de lei, é usado, ainda hoje, para denominar os diversos tipos de ligas de prata, especialmente as chamadas “pratas baixas”, as ligas com teor inferior a 950 gramas de prata por mil gramas.
A prata possui variadas gradações que indicam o seu nível de pureza.

A prata pura ou prata fina, possui o teor de pureza igual a 1000 e não se usa na fabricação de joias, a não ser em casos especiais como filigrana que são peças delicadíssimas feitas com fio muito fino uma verdadeira escultura com metal nobre assim é a filigrana.
As peças confeccionadas com prata 1000 ficam com um grau de dureza muito baixo fazendo com que as joias se arranhem,  se amassem, se quebrem facilmente. 
E o nosso desejo por uma joia é que ela seja eterna. 

Jóias não deixam uma pessoa mais Bonita... Jóias fazem a pessoa se SENTIR mais bonita.

Prata 950 é a ideal para a fabricação de jóias artesanais ela apresenta alto brilho e um ótimo grau de dureza e maleabilidade.

quinta-feira, 1 de novembro de 2012

"Nossa Senhora de Fátima" - Looping de Pérola Prata e Madrepérola

 "Nossa Senhora de Fátima" - Looping de Pérola Prata e Madrepérola 

A 13 de Maio de 1917, três crianças pastoravam um pequeno rebanho na Cova da Iria, freguesia de Fátima, concelho (Comarca do Minho) de Vila Nova de Ourém, hoje diocese de Leiria-Fátima.
Chamavam-se Lúcia de Jesus, de 10 anos, e Francisco e Jacinta Marto, seus primos, de 9 e 7 anos.
Por volta do meio dia, depois de rezarem o terço, como habitualmente faziam, entretinham-se a construir uma pequena casa de pedras soltas, no local onde hoje se encontra a Basílica. De repente, viram uma luz brilhante; julgando ser um relâmpago, decidiram ir-se embora, mas, logo abaixo, outro clarão iluminou o espaço, e viram em cima de uma pequena azinheira (onde agora se encontra a Capelinha das Aparições), uma 'Senhora mais brilhante que o sol', de cujas mãos pendia um terço branco.
A Senhora disse aos três pastorinhos que era necessário rezar muito e convidou-os a voltarem à Cova da Iria durante mais cinco meses consecutivos, no dia 13 e àquela hora. As crianças assim fizeram, e nos dias 13 de Junho, Julho, Setembro e Outubro, a Senhora voltou a aparecer-lhes e a falar-lhes, na Cova da Iria. A 19 de Agosto, a aparição deu-se no sítio dos Valinhos, a uns 500 metros do lugar de Aljustrel, porque, no dia 13, as crianças tinham sido levadas pelo Administrador do Concelho, para Vila Nova de Ourém.

Na última aparição, a 13 de Outubro, estando presentes cerca de 70.000 pessoas, a Senhora disse-lhes que era a 'Senhora do Rosário' e que fizessem ali uma capela em Sua honra. Depois da aparição, todos os presentes observaram o milagre prometido às três crianças em Julho e Setembro: o sol, assemelhando-se a um disco de prata, podia fitar-se sem dificuldade e girava sobre si mesmo como uma roda de fogo, parecendo precipitar-se na terra.

Posteriormente, sendo Lúcia religiosa de Santa Doroteia, Nossa Senhora apareceu-lhe novamente em Espanha (10 de Dezembro de 1925 e 15 de Fevereiro de 1926, no Convento de Pontevedra, e na noite de 13/14 de Junho de 1929, no Convento de Tuy), pedindo a devoção dos cinco primeiros sábados (rezar o terço, meditar nos mistérios do Rosário, confessar-se e receber a Sagrada Comunhão, em reparação dos pecados cometidos contra o Imaculado Coração de Maria) e a Consagração da Rússia ao mesmo Imaculado Coração. Este pedido já Nossa Senhora o anunciara em 13 de Julho de 1917, na parte já revelada do chamado 'Segredo de Fátima'.

Anos mais tarde, a Ir. Lúcia conta ainda que, entre Abril e Outubro de 1916, tinha aparecido um Anjo aos três videntes, por três vezes, duas na Loca do Cabeço e outra junto ao poço do quintal da casa de Lúcia, convidando-os à oração e penitência.

Desde 1917, não mais cessaram de ir à Cova da Iria milhares e milhares de peregrinos de todo o mundo, primeiro nos dias 13 de cada mês, depois nos meses de férias de Verão e Inverno, e agora cada vez mais nos fins de semana e no dia-a-dia, num montante anual de quatro milhões.

Oração à Nossa Senhora de Fátima 

"Santíssima Virgem,
que nos montes de Fátima
vos dignastes revelar a três pastorinhosos
tesouros de graças
contidos na prática do vosso santo Rosário,
incuti profundamente em nossa alma
o apreço em que devemos ter esta devoção,
a vós tão querida,
a fim de que, meditando os mistérios da Redenção,
que neles se comemoram,
nos aproveitemos de seus preciosos frutos
e alcancemos a graça (............................)
que vos pedimos,
se for para a glória de Deus
e proveito de nossas almas.
Assim seja. "
Pai-nosso, Ave-Maria, Glória ao Pai.

quarta-feira, 31 de outubro de 2012

Memória (declamado por Carlos Drummond de Andrade)




MEMÓRIA
(Carlos Drummond de Andrade)
Amar o perdido
deixa confundido
este coração.
Nada pode o olvido
contra o sem sentido
apelo do Não.
As coisas tangíveis
tornam-se insensíveis
à palma da mão.
Mas as coisas findas,
muito mais que lindas,
essas ficarão.

"A Palavra Mágica " Carlos Drummond de Andrade

                                                                                                            








A Palavra Mágica


Certa palavra dorme na sombra 
de um livro raro.
Como desencantá-la?
É a senha da vida
a senha do mundo.
Vou procurá-la.

Vou procurá-la a vida inteira
no mundo todo.
Se tarda o encontro, se não a encontro,
não desanimo,
procuro sempre.

Procuro sempre, e minha procura
ficará sendo
minha palavra. 





domingo, 28 de outubro de 2012

Escapulário "Amo o Rio" Rubi bruto e Prata

                                            Escapulário "Amo o Rio" Rubi Bruto e Prata

Histórias, crenças e lendas sobre o RUBI


Na Índia o rubi é chamado ratnaraj, que significa “senhor das pedras preciosas”. 

A Índia foi o país de origem clássica do Rubi e há milhares de anos o conhecimento sobre a lapidação e seus mitos era passado de uma geração para outra, em sigilo de família, e a adoração por essa pedra chegou ao mundo através das obras da literatura indiana.

Hoje temos jazidas importantes de Rubi no Sri Lanka, Índia, Birmânia, Camboja, Quênia, Tanzânia e México, encontrando-se as mais importantes ao norte da Birmânia, perto de Mogok, onde encontram-se frequentemente rubis “sangue de pombo”, considerados como os mais valiosos.
Pedras grandes, por outro lado, são muito raras.
Os rubis são encontrados junto de berilos, crisoberilos, granadas, pedras-da-lua, safiras, espinélios, topázios, turmalinas e zircões.
O Rubi acha-se entre as gemas mais caras do mundo.
Os Rubis grandes são mais raros que diamantes de tamanho similar.
O maior Rubi digno de ser lapidado pesou 400 ct; foi encontrado na Birmânia e foi dividido em três partes.
Pedras famosas, de beleza excepcional, são:
O Rubi Edward (167 ct), no British Museum of Natural History-Londres.
O Rubi Estrala de Reeves (138,7 ct), no Smithsonian Institution-Whashington.
O Rubi Long Star (100 ct) no American Museum of Natural History-Nova York.
O Rubi da Paz (43 ct), assim chamado porque foi encontrado em 1919, isto é, logo após o término da Primeira Guerra Mundial.
Numerosos Rubis são peças que dão esplendor e glamour as jóias de diversas dinastias.
Descobriu-se que algumas gemas que haviam sido consideradas como rubis, era espinélios, como o Black Prince`s Ruby da coroa inglesa, ou o Timur Ruby num colar das jóias da coroa inglesa. Os espinélios em forma de gota da coroa de Wittelsbach de 1830 eram considerados rubis.
Atualmente, a maioria dos rubis já é lapidada nos próprios países produtores. Como se procura manter um peso o mais elevado possível, as proporções não são sempre satisfatórias, e muitas pedras têm de ser relapidadas. Os de qualidade transparente se lapidam em talhe esmeralda ou em brilhante, os menos transparentes em cabochão.

O Rubi é considerado como uma das doze pedras preciosas que foram criados quando Deus foi criar a humanidade.

Crenças e Mitos:

Acredita-se que o Rubi traz saúde, riqueza e sucesso ao seu portador.

Na Índia sempre que um Rubi for encontrado, há uma regra pra receber a pedra, essa regra passa de geração a geração em segredo de família.

Rubis na Índia foram classificadas como de classe alta, classe média e classe baixa como por sua infalibilidade e perfeição.

Rubis, que fossem considerados inferiores em qualidade seria mantido longe dos mais finos, pois, acreditavam que eles iriam contaminar os rubis mais finos.

Os Hindus valorizavam os Rubis por este possuir a cor da flor de Lótus.

Durante a Idade Média surgiu a crença de que os Rubis possuíam um fogo interno que não podia ser escondido ou apagado.

Acreditavam que se fossem envolvidos em um pano esse, eventualmente se queimaria, ou que se a pedra fosse colocada na água, o líquido esquentaria até ferver.

Acreditava-se que o Rubi era a mais valiosa das doze pedras criadas por Deus e que Ele ordenou que este fosse colocado no pescoço de Abraão.

A Bíblia diz que "a sabedoria é mais valiosa que o preço dos rubis".

O Rubi estava associado ao calor e à paixão e eram considerados valiosos por manterem a saúde do corpo e da alma.

Era também utilizado para evitar perdas de sangue e doenças do sangue.

Os rubis sempre foram considerados as mais sagradas de todas as pedras preciosas.

Durante muitos milênios, as pedras preciosas da antigüidade têm sido usadas como amuletos.

Tais amuletos eram reverenciados, usados, preservados, protegidos e passavam de pais para filhos, durante incontáveis gerações.

Os antigos birmaneses acreditavam que o Rubi tinha o poder de tornar seus guerreiros invulneráveis durante as batalhas. Para isso era necessário que a pedra ficasse em contato com a carne, portanto eles o inseriam sob a pele. Um dos primeiros exemplos de piercing conhecidos

Os hindus também como os birmaneses por vezes incrustavam rubis na pele pois acreditavam que isto os iria proteger contra as feridas provocadas por setas.

Ainda hoje se acredita que o rubi favorece a circulação sanguínea e o coração.

Também se crê que no amor faz com que este sentimento se torne sublime e grandioso, alcançando todo o universo.

sexta-feira, 26 de outubro de 2012

quarta-feira, 24 de outubro de 2012

"São Jorge" Madrepérola e Prata

 
São Jorge Camafeu Madrepérola e Prata Corrente Veneziana 40cm




 São Jorge

 Santo guerreiro; Padroeiro da Inglaterra, Portugal, Lituânia e Geórgia 

 Data de comemoração: 23 de Abril 

 Em torno do século III D.C., quando Diocleciano era imperador de Roma, havia nos domínios do seu vasto Império um jovem soldado chamado Jorge. Filho de pais cristãos, Jorge aprendeu desde a sua infância a temer a Deus e a crer em Jesus como seu salvador pessoal.

Nascido na antiga Capadócia, região que atualmente pertence à Turquia, Jorge mudou-se para a Palestina com sua mãe após a morte de seu pai. Lá foi promovido a capitão do exército romano devido a sua dedicação e habilidade - qualidades que levaram o imperador a lhe conferir o título de conde. Com a idade de 23 anos passou a residir na corte imperial em Roma, exercendo altas funções.

Por essa época, o imperador Diocleciano tinha planos de matar todos os cristãos. No dia marcado para o senado confirmar o decreto imperial, Jorge levantou-se no meio da reunião declarando-se espantado com aquela decisão, e afirmou que os os ídolos adorados nos templos pagãos eram falsos deuses.

Todos ficaram atônitos ao ouvirem estas palavras de um membro da suprema corte romana, defendendo com grande ousadia a fé em Jesus Cristo como Senhor e salvador dos homens. Indagado por um cônsul sobre a origem desta ousadia, Jorge prontamente respondeu-lhe que era por causa da VERDADE. O tal cônsul, não satisfeito, quis saber: "O QUE É A VERDADE ?". Jorge respondeu: "A verdade é meu Senhor Jesus Cristo, a quem vós perseguis, e eu sou servo de meu redentor Jesus Cristo, e nele confiado me pus no meio de vós para dar testemunho da verdade."

Como São Jorge mantinha-se fiel a Jesus, o Imperador tentou fazê-lo desistir da fé torturando-o de vários modos. E, após cada tortura, era levado perante o imperador, que lhe perguntava se renegaria a Jesus para adorar os ídolos. Jorge sempre respondia: "Não, imperador ! Eu sou servo de um Deus vivo ! Somente a Ele eu temerei e adorarei". E Deus, verdadeiramente, honrou a fé de seu servo Jorge, de modo que muitas pessoas passaram a crer e confiar em Jesus por intermédio da pregação daquele jovem soldado romano. Finalmente, Diocleciano, não tendo êxito em seu plano macabro, mandou degolar o jovem e fiel servo de Jesus no dia 23 de abril de 303.

A devoção a São Jorge rapidamente tornou-se popular. Seu culto se espalhou pelo Oriente e, por ocasião das Cruzadas, teve grande penetração no Ocidente.

Verdadeiro guerreiro da fé, São Jorge venceu contra Satanás terríveis batalhas, por isso sua imagem mais conhecida é dele montado num cavalo branco, vencendo um grande dragão. Com seu testemunho, este grande santo nos convida a seguirmos Jesus sem renunciar o bom combate. 

Foto:
Mônica Imbuzeiro

Fonte:  Diversas


ORAÇÃO de SÃO JORGE
Chagas abertas, Sagrado Coração todo amor e bondade, o sangue do meu senhor Jesus Cristo, no corpo meu se derrame, hoje e sempre.
Eu andarei vestido e armado, com as armas de São Jorge. Para que meus inimigos tendo pés não me alcancem, tendo mãos não me peguem, tendo olhos não me enxerguem e nem pensamentos eles possam ter, para me fazerem mal.
Armas de fogo o meu corpo não o alcançarão, facas e lanças se quebrarão sem ao meu corpo chegar, cordas e correntes se arrebentarão sem o meu corpo amarrarem.
Jesus Cristo me proteja e me defenda com o poder da sua Santa e divina Graça, a virgem Maria de Nazaré, me cubra com o seu sagrado e divino manto, me protegendo em todas as minhas dores e aflições, e Deus com a sua Divina Misericórdia e grande poder, seja meu defensor contra as maldades e perseguições dos meus inimigos, e o glorioso São Jorge, em nome de Deus, em nome de Maria Nazaré, em nome da falange do Divino Espírito Santo, estenda-me o seu escudo e as suas poderosas anulas defendendo-me com a sua força e como a sua grandeza, do poder dos meus inimigos carnais e espirituais e de todas as suas más influências, e que debaixo das patas do seu fiel ginete, meus inimigos fiquem humildes e submissos a vós, sem se atreverem a ter um olhar sequer que me possa prejudicar.
Assim seja com o poder de Deus e de Jesus e da falange do Divino Espírito Santo.
Amém.
 

Brinco Prata "Onda"



                                          Brinco Prata "Onda"

Curiosidades sobre a prata:

Prata significa- Pedra dura 

Prata 950 significa: 95% da joia é de prata pura  os outros 5% são de outros metais, normalmente Cobre.
Isso acontece por que tanto a Prata quanto o Ouro são metais delicados, maleáveis e frágeis e, por esse motivo, é feita uma liga com outros metais, normalmente  é usado o Cobre para que eles, Ouro e Prata, possam ser trabalhados. 
Este conceito foi criado por Dom Afonso II para punir severamente quem alterasse a mistura.
Esse termo, prata de lei, é usado, ainda hoje, para denominar os diversos tipos de ligas de prata, especialmente as chamadas “pratas baixas”, as ligas com teor inferior a 950 gramas de prata por mil gramas.
A prata possui variadas gradações que indicam o seu nível de pureza.

A prata pura ou prata fina, possui o teor de pureza igual a 1000 e não se usa na fabricação de joias, a não ser em casos especiais como filigrana que são peças delicadíssimas feitas com fio muito fino uma verdadeira escultura com metal nobre assim é a filigrana.
As peças confeccionadas com prata 1000 ficam com um grau de dureza muito baixo fazendo com que as joias se arranhem,  se amassem, se quebrem facilmente. 
E o nosso desejo por uma joia é que ela seja eterna. 

Jóias não deixam uma pessoa mais Bonita... Jóias fazem a pessoa se SENTIR mais bonita.

Prata 950 é a ideal para a fabricação de jóias artesanais ela apresenta alto brilho e um ótimo grau de dureza e maleabilidade.

domingo, 21 de outubro de 2012

Brinco Anzol Prata Gota Rubi Bruto Facetado





Brinco Anzol Prata Gota Rubi Bruto  Facetado

Histórias, crenças e lendas sobre o RUBI


Na Índia o rubi é chamado ratnaraj, que significa “senhor das pedras preciosas”. 


A Índia foi o país de origem clássica do Rubi e há milhares de anos o conhecimento sobre a lapidação e seus mitos era passado de uma geração para outra, em sigilo de família, e a adoração por essa pedra chegou ao mundo através das obras da literatura indiana.


Hoje temos jazidas importantes de Rubi no Sri Lanka, Índia, Birmânia, Camboja, Quênia, Tanzânia e México, encontrando-se as mais importantes ao norte da Birmânia, perto de Mogok, onde encontram-se frequentemente rubis “sangue de pombo”, considerados como os mais valiosos.

Pedras grandes, por outro lado, são muito raras.
Os rubis são encontrados junto de berilos, crisoberilos, granadas, pedras-da-lua, safiras, espinélios, topázios, turmalinas e zircões.
O Rubi acha-se entre as gemas mais caras do mundo.
Os Rubis grandes são mais raros que diamantes de tamanho similar.
O maior Rubi digno de ser lapidado pesou 400 ct; foi encontrado na Birmânia e foi dividido em três partes.
Pedras famosas, de beleza excepcional, são:
O Rubi Edward (167 ct), no British Museum of Natural History-Londres.
O Rubi Estrala de Reeves (138,7 ct), no Smithsonian Institution-Whashington.
O Rubi Long Star (100 ct) no American Museum of Natural History-Nova York.
O Rubi da Paz (43 ct), assim chamado porque foi encontrado em 1919, isto é, logo após o término da Primeira Guerra Mundial.
Numerosos Rubis são peças que dão esplendor e glamour as jóias de diversas dinastias.
Descobriu-se que algumas gemas que haviam sido consideradas como rubis, era espinélios, como o Black Prince`s Ruby da coroa inglesa, ou o Timur Ruby num colar das jóias da coroa inglesa. Os espinélios em forma de gota da coroa de Wittelsbach de 1830 eram considerados rubis.
Atualmente, a maioria dos rubis já é lapidada nos próprios países produtores. Como se procura manter um peso o mais elevado possível, as proporções não são sempre satisfatórias, e muitas pedras têm de ser relapidadas. Os de qualidade transparente se lapidam em talhe esmeralda ou em brilhante, os menos transparentes em cabochão.

O Rubi é considerado como uma das doze pedras preciosas que foram criados quando Deus foi criar a humanidade.

Crenças e Mitos:

Acredita-se que o Rubi traz saúde, riqueza e sucesso ao seu portador.

Na Índia sempre que um Rubi for encontrado, há uma regra pra receber a pedra, essa regra passa de geração a geração em segredo de família.

Rubis na Índia foram classificadas como de classe alta, classe média e classe baixa como por sua infalibilidade e perfeição.

Rubis, que fossem considerados inferiores em qualidade seria mantido longe dos mais finos, pois, acreditavam que eles iriam contaminar os rubis mais finos.

Os Hindus valorizavam os Rubis por este possuir a cor da flor de Lótus.

Durante a Idade Média surgiu a crença de que os Rubis possuíam um fogo interno que não podia ser escondido ou apagado.

Acreditavam que se fossem envolvidos em um pano esse, eventualmente se queimaria, ou que se a pedra fosse colocada na água, o líquido esquentaria até ferver.

Acreditava-se que o Rubi era a mais valiosa das doze pedras criadas por Deus e que Ele ordenou que este fosse colocado no pescoço de Abraão.

A Bíblia diz que "a sabedoria é mais valiosa que o preço dos rubis".

O Rubi estava associado ao calor e à paixão e eram considerados valiosos por manterem a saúde do corpo e da alma.

Era também utilizado para evitar perdas de sangue e doenças do sangue.

Os rubis sempre foram considerados as mais sagradas de todas as pedras preciosas.

Durante muitos milênios, as pedras preciosas da antigüidade têm sido usadas como amuletos.

Tais amuletos eram reverenciados, usados, preservados, protegidos e passavam de pais para filhos, durante incontáveis gerações.

Os antigos birmaneses acreditavam que o Rubi tinha o poder de tornar seus guerreiros invulneráveis durante as batalhas. Para isso era necessário que a pedra ficasse em contato com a carne, portanto eles o inseriam sob a pele. Um dos primeiros exemplos de piercing conhecidos

Os hindus também como os birmaneses por vezes incrustavam rubis na pele pois acreditavam que isto os iria proteger contra as feridas provocadas por setas.

Ainda hoje se acredita que o rubi favorece a circulação sanguínea e o coração.

Também se crê que no amor faz com que este sentimento se torne sublime e grandioso, alcançando todo o universo.

EPITÁFIO "TITÃS "

quarta-feira, 17 de outubro de 2012

Escapulário "Amo o Rio" Labradorita e Prata


Escapulário "Amo o Rio" Labradorita e Prata





LABRADORITA "Crenças e mitos"

A Labradorita é uma pedra extremamente mística e protetora, uma portadora de luz. Ela eleva a consciência e nos conecta com as energias universais. 


A Labradorita repele energias indesejáveis da aura e previne perdas energéticas. Ela forma uma barreira contra as energias negativas. 


A Labradorita alinha os corpos físico e etérico e nos ajuda a descobrir o nosso propósito espiritual. Essa pedra estimula a intuição e os  dons psíquicos, incluindo a arte de trazer à tona, no momento certo, mensagens da mente inconsciente, e facilitar a sua compreensão.

O nome Labradorita (também chamada Spectrolina), origina-se do grego plagios, que significa torto, visto que as estruturas da Labradorita não correm em sentido vertical, mas tortas em relação umas às outras, produzindo o jogo de cores cintilante destas pedras. 

A Labradorita recebeu este nome por ter sido encontrada, pela primeira vez, no Estado  Canadense de Labrador, no Século XVIII. devido ao seu fascinantes jogo de cores. 

A Labradorita tornou-se popular em curto espaço de tempo e até hoje é muito apreciada como jóias e pedras de cura.  Ela foi levada para Europa pelos missionários e em curto espaço de tempo se popularizou, depois foi encontrada também na Noruega e na Rússia. Na Finlândia  a Labradorita é de um azul quase translúcido.

A Labradorita apresenta-se em massas compactas, em agregados granulares e raramente em cristais tabulares. Sua maior característica é o brilho incomum, cientificamente chamado de schiller que em alemão significa iridescente. Às vezes este brilho é  também chamado de labradorescente, pois é exclusivo da Labradorita: um jogo de cores verdes, azuis, dourado, violeta e vermelho que se misturam em um belíssimo efeito.

A Labradorita nos ajuda a enxergarmos através das ilusões e determinarmos os nossos reais sonhos e objetivos.


Desde que foi descoberta, acredita-se em seu poderes especiais... mesmo que seja apenas para relaxar e e viajar em suas luzes e refrações....ela é de uma beleza fascinante e hipnotizadora !!!!! 




איו